O que é Inbound Marketing e como usá-lo no seu negócio

Voltar
O que é Inbound Marketing e como usá-lo no seu negócio

Você já ouviu falar em Inbound Marketing? Você sabia que é 62% mais barato que marketing convencional? Você sabe qual a função dele dentro da sua estratégia de marketing digital?  Em uma tradução livre Inbound Marketing significa marketing de atração.

Para vender é preciso atrair clientes. No outbound marketing essa atração é feita através de propagandas em rádios, televisão, jornais impressos. Isso não funciona nos dias atuais? Funciona sim, mas a grande questão é:quantas pessoas foram impactadas e quantas compraram? 

No Inbound você consegue acompanhar a jornada de compra de cada cliente e saber exatamente os passos que ele deu. Essa estratégia é replicada para outros clientes automatizando todo o processo.

Grandes vantagens de investir em uma estratégia de Inbound Marketing:

  • Aumenta a visibilidade da sua empresa;
  • Atrai pessoas interessadas no seu negócio;
  • Melhora o relacionamento com seu cliente;
  • Diminui o CAC (custo de aquisição de cliente);
  • Essas são apenas algumas das vantagens de se investir é uma estratégia de Inbound. Descubra a seguir as etapas dessa estratégia.
  • Como funciona o Inbound Marketing na prática

 

São basicamente cinco os grandes pilares da estratégia: Atrair, Converter, Relacionar, Vender e Analisar.

De uma maneira simples, esse seria o esqueleto de uma estratégia de Inbound Marketing. Mas, para executá-la é preciso ter um site e um blog bem planejados. Apenas um site institucional já não basta. Sites com blogs geram mais visitas e ainda ajudam a ter conteúdos bem estruturados para as mídias sociais.

Atrair

Para vender você precisa criar uma base de clientes para se relacionar e depois buscar a conversão em vendas. Esse trabalho precisa ser focado já que apenas 3% das pessoas estão dispostas a comprar na hora.

Mas, atrair quem? Seu potencial cliente ou qualquer um que tenha interesse pela sua marca e seus produtos ou serviços. A peça principal nessa estratégia é o site. Ele concentrará boa parte das estratégias para geração de leads.

Lead é uma pessoa que demonstra interesse em seu produto ou serviço. E como se cria uma base de leads? Com ofertas desenvolvidas especialmente para eles. 

Para ampliar o relacionamento é necessário capturar o e-mail desse possível lead. A forma mais utilizada são as ofertas de e-books, infográficos, whitepapers, webinários, entre centenas de tipos de ofertas. Você oferece algo do interesse dele e ele lhe entrega seus dados.

Para atraí-lo será necessário criar uma estratégia para que ele encontre sua oferta. Para isso duas maneiras são utilizadas: atração orgânica ou paga.

Organicamente é a forma mais barata para trazer tráfego para seu site, mas também é a mais difícil. Você precisará investir em criação de conteúdo para atrair esse lead. Seja conteúdo escrito, em vídeo ou imagens. Além de focar na produção de conteúdo útil para seu lead, você precisa otimizar o seu site/blog para os mecanismos de buscas incluindo nele as boas práticas de SEO.

SEO consiste em uma série de práticas que visam melhorar o desempenho do seu site nos mecanismos de busca. Você pode conferir algumas delas clicando aqui.

Já a busca paga, ou melhor, links patrocinados é uma forma rápida de atrair visitantes para seu site enquanto o mesmo não atinge boas posições nos mecanismos de busca. Existem duas principais ferramentas para isso: Google Adwords e Facebook ADS.

No Google Adwords você pode escolher as palavras chaves relacionadas ao seu negócio. Definir um orçamento a ser gasto, criar uma boa página de destino e iniciar sua campanha. No Facebook ADS é um pouco mais complicado. Diferente do Adwords onde o cliente busca diretamente por algum produto ou solução, no Facebook o cliente quer apenas passar o tempo. Então sua abordagem deve ser diferente.

Você pode conferir este guia que elaboramos para criar uma campanha assertiva com o Facebook ADS. Clique aqui e confira. 

Converter

Após atrair esse possível cliente para seu site ou blog você precisa capturar o e-mail dele. Para isso é preciso criar páginas de captura. Uma página de captura funciona da seguinte forma: você oferece um e-book, ou qualquer outra coisa do interesse desse usuário, lembrando que precisa ser algo que tenha muito valor para ele. Criar qualquer material sem a intenção de ajudar pode gerar uma percepção negativa por parte do usuário.

Uma página de captura pode lhe ajudar a conhecer dados interessantes sobre seus clientes. Você pode saber qual cidade ele mora, preferências, cargo e usar todas essas informações para melhorar sua atuação com o marketing.

Por exemplo: Você trabalha com móveis para praça de alimentação e restaurantes e oferece um e-book sobre as melhores dicas de cuidados para mobiliário. Uma série de pessoas baixa seu e-book e você nota que boa parte delas se concentra na região sul do país.

Então quais seriam boas práticas a serem tomadas? Investir na divulgação de seus produtos para o público da região nordeste ou intensificar na região sul? A nível de ROI (Retorno sobre o investimento) seria interessante dar mais atenção a região sul do país de onde vem o maior interesse do público.

Relacionar

Depois de montar uma boa base de leads, o que fazer? Quantos e-mails mandar? Em quais horários? Por onde começar? Você precisa se relacionar com seus leads. Entender o que eles gostam e não gostam. Compreender sua jornada de compra e aumentar seu life time com sua empresa.

Como se relacionar com esses leads? Você pode nutri-los com materiais educativos, newsletter, informativos, textos do blog entre outras ofertas para que eles aumentem o interesse pelo o que você tem a oferecer.

O tempo que isso leva é variável dependendo o modelo de negócio e o objetivo da atração. Mais uma coisa é certa: não existe uma fórmula mágica. Tudo depende do ticket médio do serviço ou produto e o tempo de decisão do cliente: quanto maior, mais nutrição o lead precisa para confiar e comprar de você.

Vender e Analisar

Finalmente vender. Uma das melhores partes da estratégia de Inbound Marketing, a venda, pode ocorrer dentro do site mesmo. Esse é o caso de e-commerce ou das páginas de pedido de orçamento para que o consultor de vendas entre contato.

Não existe limite dentro uma estratégia de Inbound. Logo após você seguir os primeiros processos e obter ou não resultados será preciso analisar o que deu certo e o que não deu. Existem ferramentas que ajudam a acompanhar o desempenho do site, do Facebook entre outros os canais.

Para monitoramento do site você pode utilizar o Google Analytics . Onde você confere dados importantíssimos como o número de acessos, páginas mais visitadas, perfil do público, entre outras informações.

Já para o Facebook a própria ferramenta disponibiliza o Facebook Insights ou informações das páginas, que irá trazer informações sobre o alcance da sua página, engajamento, cliques, entre outros.

E-mail você pode utilizar ferramentas gratuitas e pagas, que vão lhe entregar métricas quanto o número de cliques, taxa de abertura, taxa de decadastros, etc...

Conclusão

O inbound marketing exige dedicação e planejamento. A princípio pode parecer muita coisa e de fato é. Mas, o mais importante de tudo é por em prática uma coisa de cada vez. Comece organizando as coisas. Crie um blog, produza bons conteúdos, invista em SEO. Depois vá avançando nas etapas até construir a sua máquina de aquisição de clientes.

Utilizar estratégias de Inbound Marketing pode parecer um pouco complicado no começo, mas com o tempo sua empresa só tem a ganhar com ela. É por isso que preparamos um material completo sobre marketing digital. Clique aqui para acessá-lo.

Imagens relacionadas

Voltar
Carregando...
Top